Acupuntura é opção eficaz para infertilidade feminina

Segundo a Organização Mundial de Saúde  (OMS), a infertilidade conjugal acomete 15% dos casais em idade reprodutiva. Este percentual pode sofrer variações em função de diversos fatores, dependendo da população que esta sendo avaliada, e pode muitas vezes variar no mesmo país. Um dos fatores que influenciam diretamente esse número é a idade, pois muitos casais demoram a casar ou juntar-se e esperam ter filhos após estarem financeiramente estabelecidos ou com suas carreiras estáveis. Contudo, a demora leva à diminuição das chances de engravidar e ao aumento das possibilidades de perda fetal ou aborto. Obesidade, diabetes, doenças sexualmente transmissíveis, ansiedade e estresse interferem negativamente, e, infelizmente, estão cada vez mais presentes na população.

O tratamento da infertilidade pela acupuntura pode ser visto, basicamente, de dois modos diversos, o primeiro diz respeito à facilitação da gestação em pacientes sem causa aparente para a sua infertilidade, o segundo refere-se ao auxílio das técnicas de reprodução assistida quando se entende que essas técnicas são necessárias.

“O médico acupunturista deve ser cuidadoso ao acompanhar as pacientes que o procuram para tentar engravidar, pois antes de tudo é necessário o diagnóstico correto da infertilidade para não perder tempo com alguns tratamentos que podem se revelar futuramente inúteis. Existe pouca chance de gravidez se a causa da infertilidade for obstrução tubária ou quando o marido tem um espermograma com alterações de mobilidade e de morfologia e estamos tratando a mulher isoladamente. Certamente nesses casos, a acupuntura precisa ser usada como terapia complementar à fertilização assistida e não deve ser indicada como forma exclusiva de tratamento”, esclarece Dra. Helena Campiglia, médica acupunturista e membro do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAESP), autora do livro “Domínio do Yin da Fertilidade à Maternidade”, Editora ROCA, 2010, SP.

O tratamento consiste em um diagnóstico clínico (anamnese, exames clínicos e de imagem, se necessário) seguido do diagnóstico energético, que revela o estado global da saúde e orientará o tratamento por meio da Acupuntura. Na MTC, duas ou mais pacientes com o mesmo diagnóstico, como endometriose, poderão receber tratamentos distintos, porque não se trata a doença e sim o indivíduo como um todo.

Estudos científicos

Alguns estudos científicos ocupam-se de corroborar o uso da acupuntura para o tratamento da fertilidade.  Esses estudos apontam para um mecanismo neuro-hormonal que influencia o ciclo menstrual e a circulação sanguínea uterina melhorando assim a qualidade dos óvulos e do endométrio, permitindo um aumento das taxas de gravidez em pacientes que se submetem à a acupuntura. Um grande estudo publicado (meta-análise) no British Journal of Medicine mostra que trabalhos científicos em mais de 1000 mulheres foram realizados em vários centros de fertilidade no mundo. Esses trabalhos apontam que a acupuntura pode aumentar de fato as chances de gravidez quando realizada durante o ciclo de fertilização in vitro. Pacientes que realizaram a acupuntura e simultaneamente ao tratamento de fertilização assistida tiveram notadamente maior índice de gravidez que aquelas que só fizeram a FIV (cerca de 10 a 12% a mais de pacientes grávidas no grupo com acupuntura). Os efeitos relatados da acupuntura incluem:

1) Aumento do fluxo de sangue na região do útero e dos ovários

2) Liberação de um neuro-hormônio chamado de β-endorfina e outros neuropeptídeos que estão presentes no hipotálamo, hipófise, medula e ovários, portanto tem influência nesses mesmos órgãos e na relação entre eles. A β-endorfina está também implicada no mecanismo de regulação dos hormônios do ciclo menstrual, como o GnRH e portanto tem ação na própria ovulação.

3) Regularizar ciclos anovulatórios através da sua ação no eixo hipotálamo-hipofisário-gônadas.

4) Redução do estresse através da liberação de serotonina e da β-endorfina.

Quanto a este último item, a redução do estresse, muito tem sido dito a respeito de técnicas para reduzir o estresse durante os tratamentos para engravidar. Sabe-se que o estresse afeta diretamente a ovulação e pode chegar até a inibi-la em alguns casos. Outros fatores que vem sendo investigados quanto aos hábitos de vida são a alimentação e os exercícios físicos. Mulheres que se alimentam mal, muito pouco, ou no outro extremo são obesas estão mais propensas a diminuir a ovulação. O excesso de exercício físico também pode ser responsável por aumentar os níveis de estresse crônico. Recomenda-se o “caminho do meio”, ou seja, uma alimentação saudável equilibrada e exercícios moderados para quem quer engravidar. Terapias cognitivo-comportamentais, ou outras técnicas de identificação de estresse e redução do mesmo também são indicadas. A acupuntura sabidamente afeta os níveis de estresse crônico reduzindo-os.

Pontos de acupuntura

Como vimos acima há no mínimo quatro ou cinco pontos de apoio entre os tratamentos de fertilização assistida e a acupuntura. Para cada um desses tópicos podemos abordar diferentes pontos de acupuntura, porém sempre tendo em mente que o tratamento pela acupuntura não é feito através de receitas prontas. A acupuntura faz parte da Medicina Tradicional Chinesa que vê o homem como um todo inserido em seu ambiente e, portanto, uma paciente jamais receberá exatamente o mesmo tratamento que outra. Isso gera necessariamente uma dificuldade de padronização nos protocolos de pesquisa com a acupuntura, uma vez que o tratamento não pode ser completamente normatizado. Ainda assim, há em cada um dos tópicos abaixo algumas linhas que podem ser mais ou menos seguidas dependendo do caso:

1) Para diminuir os efeitos colaterais das medicações da FIV indicam-se principalmente os pontos do meridiano do Fígado, uma vez que os hormônios utilizados terão uma sobrecarga justamente nesse órgão que é o grande “filtro” do corpo. Os sintomas mais comuns como já foi mencionado anteriormente são: irritabilidade, aumento de peso, inchaço, dores de cabeça, mal-estar geral do corpo.

Nesses casos procura-se utilizar pontos que removam a estase do Qi do Fígado tais como F3, VB34, IG4, CS6, F13.

Para pacientes que apresentam além dos sintomas descritos, enxaqueca, tontura ou enjôo acrescentam-se os pontos: VB41, VB20, VB21, TA5.

Para o aumento de peso, bem como os inchaços os pontos indicados são aqueles que fortalecerão o Baço-Pâncreas: BP6, VC12, E36, BP9.

Para edemas, sensação de opressão torácica, pés e mãos frios, pontos que ajudem a ativar e circular o Triplo Aquecedor: VC9, TA3, R3, P9, BP9.

2) Melhorar a qualidade dos óvulos que serão utilizados naquele ciclo: pontos do Rim e da Bexiga, responsável pelo Jing: R3, R7, Bx23, BX52, VG4, VC4 e pontos do meridiano Chong Mai ou próximos aos ovários: R12, R13, E29, E30, Ponto extra Zigong, VC3.

3) Melhorar a irrigação do útero, contribuindo assim para a nidação (o embrião nida quando ele gruda na parede do útero) e desenvolvimento do embrião: novamente pontos do Rim, do Baço e do Chong Mai: BP4, R3, VC3, VC4, R13, IG4, BP6.

4) Diminuir a ansiedade: pontos ligados ao Shen e ao Coração: C7, VC14, Bx15, BX44, Yintang, VG20.

5) Criar um espaço de relaxamento, consciência corporal e promoção da saúde, focando no bem-estar corporal e auto-confiança da mulher. Aqui não se trata de quais pontos e sim da visão do todo, da capacidade de escuta e percepção da necessidade de cada paciente. O encontro entre o médico e a paciente deve se dar a partir do ponto de vista do acolhimento sem preconceitos. Não se deve colocar a técnica antes do ser humano e cada paciente apresentará necessidades distintas.

Além dos pontos descritos acima, a acupuntura auricular é de grande auxílio ao tratamento da infertilidade. Há alguns trabalhos científicos na área que mostram o seu uso exclusivo, sem outros pontos sistêmicos e com bons resultados. Os pontos em geral indicados são os que se seguem:

Shenmen

Útero

Endócrino

Ovários

Sub-córtex

Esses pontos devem ser escolhidos dependendo da fase em que se encontra a paciente: exemplo, o ponto do ovário é um ponto usado na época da indução da ovulação e o do útero é preferencialmente usado após a ovulação até a transferência do embrião.

Tratamentos diferentes

De acordo com a Medicina Chinesa Clássica, pode-se dividir a infertilidade feminina em diversos distúrbios energéticos que recebem tratamentos completamente diferentes, ainda que a causa da infertilidade pela Medicina Ocidental seja exatamente a mesma. Assim sendo, por exemplo, duas pacientes com ovários policísiticos podem receber abordagens diversas pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC). O diagnóstico, segundo a MTC, baseia-se na somatória de sinais e sintomas principais que constituem um quadro clínico, e eventualmente, um paciente pode ter sinais que apontam em diferentes direções, complicando assim o diagnóstico preciso. Portanto, uma investigação cuidadosa do quadro apresentado, dos ciclos menstruais, do pulso e da língua deve ser realizada.

“Tratar infertilidade é mais que tratar casais que querem um bebê. Pois aqueles que não conseguem engravidar ainda necessitam de tratamento. Tratar infertilidade significa, nesses casos, cuidar das frustrações e ajudar o casal a reencontrar o seu ponto de equilíbrio e amor e ajudar a redescobrir os objetivos de vida e a trajetória da alma. E a Acupuntura tem um importante papel nesse processo”, finaliza Dra. Helena.

  • Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *