Entrevista: Acupuntura e medicina esportiva

Entrevista: Acupuntura e medicina esportiva

A entrevista com Dr. Lo Sz Hsien, médico com especialidade em Acupuntura, joga luz sobre o verdadeiro papel da Acupuntura num dos momentos mais dolorosos e estressantes dos pacientes.

De que forma a Acupuntura pode contribuir para a medicina esportiva?

A Acupuntura pode ser inserida em dois aspectos: preventivo, ajudando o paciente a manter o equilíbrio, e terapêutico, no tratamento de dores e lesões. O preventivo é o mais eficiente, pois o indivíduo que estiver equilibrado, sem grandes tensões, sem estresse, ao praticar sua atividade física, terá menos chance de se lesionar.

Ela pode ser aplicada em qualquer tipo de dor ou lesão?

Na verdade, do atendimento ao paciente deve começar por um detalhado e completo diagnóstico. Nessa fase, analisa-se o perfil do paciente, exames de imagem, seu tipo de vida, o esporte que pratica, de que forma ele é feito. É preciso avaliar a causa da  dor, descobrir qual é a fonte, por qual motivo ela está acontecendo. E daí, então, indicar o tratamento.

No caso de uma lesão o procedimento é o mesmo?

Também aqui começamos pelo diagnóstico completo, incluindo exames de imagem, analisamos o paciente e a lesão em si, verificando, por exemplo, se a integridade do tecido está preservada, se houve rompimento. Dependendo do resultado dessa análise, pode-se chegar à conclusão de que o caso é até cirúrgico.

Pela sua experiência, quais os tipos de lesão mais freqüentes que levam os pacientes ao consultório do médico acupunturista?

Lesões de origem nos tendões, músculos e ligamentos.

Cada tipo de lesão tem um tratamento específico?

Reforço que tudo começa com um bom diagnóstico. É fundamental para definir o tratamento saber o tipo de atividade esportiva que o paciente pratica. Dependendo da prática da atividade, conseguimos saber quais regiões ele pode ter lesão e de que forma. Por exemplo: um cavaleiro tem a dor lombar causada por motivos diferentes de um jogador de vôlei. O mecanismo da dor é diferente. Atingiu o músculo de forma diferente, então o tratamento será diferente também. Por isso é importante o diagnóstico individual. Cada caso terá suas nuances.

Os resultados são imediatos?

A partir do diagnóstico completo eu consigo dizer qual o grau de melhora que o paciente terá e em quanto tempo. Para algumas dores, os resultados são excelentes.  Um tenista que vem com uma epicondilite não vai apresentar resultados tão imediatos em termos de recuperação de atividade, mas consegue melhorar da dor. Se o mesmo tenista vier com uma dor no ombro, é possível – de acordo com a lesão – que em duas aplicações ele volte a jogar. No caso de um paciente apresentando dor no joelho com ruptura de menisco, eu vou tratar a dor, mas não a lesão. Se for um caso de bursite, consigo tratar a dor e a lesão também.

O médico acupunturista deve conhecer a fundo o esporte praticado pelo paciente, para conseguir avaliar os movimentos que podem geral as lesões?

Não, basta que o médico acupunturista procure entender, dentro do esporte praticado pelo paciente, como é feito o movimento daquela atividade. Dessa forma, é possível  saber como ele está lesionando o local.

O tratamento com agulhamento é doloroso?

Normalmente, uso agulhas nos pontos locais e pontos regionais e um ponto à distância , ao longo do mesmo meridiano. Algumas vezes, o  ponto local é ashi, mas nem sempre. Foco em tratar uma queixa do paciente por vez, no máximo duas. Muitas vezes o paciente quer milagre, quer tratar todas as dores de uma única vez. Mas o médico tem de tratar com moderação.

Que dica que você daria para seus colegas acupunturistas?

Eu diria que o diagnóstico é uma parte fundamental no atendimento. Cada indivíduo é diferente do outro. Conversem detalhadamente com seu paciente em relação à dor. Procurem saber o histórico da dor e como é a rotina desse paciente.

  • Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *