Acupuntura e o tratamento da cólica menstrual

Por Dr. Luciano Ricardo Curuci de Souza


A dismenorréia primária, ou cólica menstrual, é hoje uma das principais queixas em consultórios e pronto-atendimentos ginecológicos, sendo a segunda causa de ausência feminina no trabalho, apenas atrás das cefaleias. A Acupuntura Médica é um tratamento adjuvante às terapias medicamentosas que vem se apresentando eficaz e a cada dia mais presente nos encaminhamentos aos consultórios de médicos acupunturistas.

Realizar um correto diagnóstico pela Medicina Tradicional Chinesa é fundamental para se adquirir sucesso no tratamento por Acupuntura. Para isso, o profissional deve primeiramente diferenciar se está frente a um padrão de plenitude ou de vazio. A palpação abdominal é fundamental para esse diagnóstico diferencial:  em um padrão de plenitude a paciente refere dor e incômodo à palpação e em um padrão de vazio a paciente não relata dor e às vezes refere conforto com a pressão abdominal.

Os padrões de dismenorréias primárias de plenitude podem ser causados por invasão de frio ou estagnação de Qi do fígado. Nestes casos a paciente se queixa de  dor mais intensa no período pré-menstrual e intramenstrual. Devemos orientar às pacientes a evitar alimentos frios e úmidos, além de evitar banhos frios e demorados.

Já os casos de padrões de dismenorréias primárias de vazio são cada dia mais frequentes devido ao excesso de trabalho a que as mulheres se submetem, levando a um vazio de Qi e sangue. As pacientes se queixam de uma cólica menstrual mais intensa no fim do ciclo menstrual e também um desconforto abdominal no período pós-menstrual.

Nos casos de dor menstrual aguda devemos realizar a puntura dos pontos VC3 e BP6 profundamente, além do ponto B32 se a paciente referir dor lombo-sacral. Estes pontos se bem aplicados causarão alívio significativo da dor.

Para evitar recidivas, deve-se usar o tratamento conforme o diagnóstico preestabelecido, podendo-se então nos casos de estagnação de Qi do fígado usar a técnica de harmonização do fígado e pontos que promovam um bem-estar psíquico, além de pontos de tonificação do rim e baço-pâncreas. Já nos casos de vazio de sangue e Qi, podemos utilizar os pontos VC17, VC4, VC12 e acrescentar os pontos de tonificação do sangue.

Devemos fazer diagnóstico diferencial com outras causas de dor pélvica, inclusive descartar ameaça de abortamento ou gravidez ectópica. Falaremos um pouco mais sobre o diagnóstico nos casos de endometriose no próximo Congresso Brasileiro de Acupuntura Médica a ser realizado em novembro deste ano.

  • Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *