Tratamento com Acupuntura ajuda a melhorar a qualidade de vido do idoso

Reconhecida como especialidade médica no Brasil desde 1995 pelo Conselho Federal de Medicina, a Acupuntura oferece muitos benefícios para os representantes da chamada terceira idade. Conversamos com a Dra. Sandra Pedersoli, que atua na área de geriatria há vários anos, e ela compartilha técnicas de aplicação e dicas para esse perfil de paciente.

O tratamento obedece à mesma sequência de uma consulta médica de qualquer outra especialidade. Durante a anamnese, as queixas e a história do paciente são ouvidas e anotadas, permitindo ao médico acupunturista a elaboração de um diagnóstico clínico e, principalmente energético, avaliando a situação atual daquele indivíduo, se está sendo submetido a algum tratamento, se está em período pré ou pós cirúrgico, se tem dores crônicas, entre outras dados. Com base nessas informações, o profissional decidirá de que a forma a acupuntura poderá contribuir para uma melhora do bem-estar do paciente e se será necessário requisitar algum exame adicional ou prescrever um medicamento auxiliar.

“Com os avanços da tecnologia em todas as áreas, a população está vivendo mais tempo, com isso é muito comum termos idosos enfrentando tratamentos quimioterápicos, por exemplo, com todos aqueles efeitos colaterais, como náuseas e fadiga. Nesses casos, a acupuntura auxilia, abrandando o mal-estar e agindo também no equilíbrio da energia, acalmando o emocional”, explica Dra. Sandra Pedersoli, membro do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo (CMAESP).

Os males emocionais, inclusive, são um grande motivo de procura pelo tratamento com acupuntura, tanto para as situações de tristeza, ansiedade, sensação de vazio e choro freqüente quanto para aquele desânimo, falta de interesse e mesmo para o estresse pré-operatório. “A acupuntura acalma o mental, melhora o fluxo da energia e faz com que ela circule melhor pelo organismo. O idoso se sente mais animado e com mais energia para enfrentar aquela fase mais difícil”, comenta Dra Sandra.

Outra aplicação importante da acupuntura nos idosos está relacionada ao alívio das dores – provocadas por quedas, bursites, lombalgias, ciático, entre outros -, e à consequente diminuição na ingestão de medicamentos, sobretudo antiinflamatórios. Pacientes com episódios de paralisia fácil e pós-AVC também encontram na acupuntura um aliado satisfatório.

Pontos – “Com o processo de envelhecimento, ocorre diminuição da função dos órgãos, e com isso uma consequente diminuição de sua energia gerando estagnação da mesma e isso é o que provoca a dor, o encurvamento do tronco, a fraqueza dos membros etc. Portanto, no idoso devemos tonificar o órgão que é responsável pela produção de todas as energias do nosso corpo, que é o sistema Baço Pâncreas / Estômago, trabalhando os pontos VC12  e F13 que são pontos Mo do BP/E, BP3 e E42 de tonificação. Não basta, porem, produzir energia, esta tem que circular e para isso, uso 4 pontos: dois nos pés e dois nas mãos IG4 e F3, denominados de portões, pois favorecem o sistema circulatório tanto sanguíneo como energético. E para que  a energia circule melhor por todo o organismo, levando uma boa nutrição, uso 6 pontos, três de cada lado: P7, IG4, BP6 para circular a energia nutritiva ou Rong. Nos episódios de hematomas, costumo fazer a aplicação no próprio local, percebendo alívio imediato na dor, fazendo sangrar três gotas, que são suficientes, e o mesmo processo aplico nos quadros agudos de gota”,  detalha Dra. Sandra.

“Cada órgão está relacionado com uma emoção e ao estimularmos esse órgão estamos melhorando a sua parte mental (emocional), que é energética e com isso, consequentemente, melhoramos a função desse órgão. Portanto, trabalhar a energia e equilibrar os 5 órgãos (pulmão, rim, baço-pâncreas, coração e fígado) é estar promovendo o equilíbrio físico e energético do individuo”, finaliza Dra. Sandra.

  • Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *