Acupuntura - O que o paciente precisa saber

Cuidar de sua saúde e de seu bem estar

 

 

Acupuntura - O que o paciente precisa saber

Explicações ao paciente sobre a complexidade do tratamento com acupuntura e a importância da escolha do profissional certo para realizá-la.

O QUE É ACUPUNTURA?

Originária da China, a acupuntura é um método terapêutico que se caracteriza pela inserção de agulhas na superfície corporal, para tratar doenças e promover a saúde, reconhecida como especialidade médica desde 1995 pelo Conselho Federal de Medicina.

COMO FUNCIONA?

Graças às pesquisas científicas realizadas nos últimos cinquenta anos, tanto na China como no Ocidente, os efeitos da Acupuntura vêm sendo desvendados. Seu mecanismo de ação tem sido demonstrado à luz da ciência atual com bases fisiológicas. A inserção da agulha de Acupuntura estimula terminações nervosas existentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos. A “mensagem” gerada por esses estímulos segue pelos nervos periféricos até o sistema nervoso central (medula e cérebro). É aí que se deflagra a liberação de diversas substâncias químicas conhecidas como neurotransmissores, desencadeando uma série de efeitos importantes, tais como, analgésico, antiinflamatório e relaxante muscular, além de ação moduladora sobre as emoções, os sistemas endócrino e imunológico e sobre várias outras funções orgânicas.

NEUROTRANSMISSORES

Atuam no encéfalo, medula espinhal, nervos periféricos e placa motora.

Exemplos:

ACETILCOLINA – Relacionado a atenção, aprendizagem e memória.

- Sono REM (profundo)

- Movimentos dos músculos.

Pacientes com Alzheimer apresentam níveis baixos deste.

ADRENALINA / NORADRENALINA – Excitação física e humor.

SEROTONINA – Humor, ansiedade e agressão.

- Níveis elevados diminuem o apetite

- Antidepressivos aumentam o apetite.

- Neurotransmissor do “bem estar”.

- Liberação de alguns hormônios, regulação do ritmo circadiano.

- Depressão apresenta níveis baixos.

DOPAMINA – Estimulação e níveis do controle motor

- Na esquizofrenia, os níveis estão elevados.

- Mal de Parkinson apresenta níveis baixos.

AMINOÁCIDO GLUTAMATO – Excitatório do Sistema Nervoso Central

- cognitivo

ENCEFALINA/ ENDORFINA – opiáceos

- modulam a dor e reduzem o stress.

 

QUAIS AS INDICAÇÕES DE ACUPUNTURA?

O campo de atuação da Acupuntura é amplo, devido a sua própria natureza e mecanismos de ação, pois ao estimular o sistema nervoso, regula e harmoniza o funcionamento do organismo como um todo. Tanto nas pesquisas clínicas como na prática diária, tem-se observado uma grande eficácia da Acupuntura no tratamento de inúmeras doenças e disfunções orgânicas: neurológicas, psiquiátricas, ortopédicas, respiratórias, reumatológicas, digestivas, entre outras. Diante disso, a própria Organização Mundial de

Saúde (OMS) organizou uma extensa lista de doenças tratáveis pela Acupuntura. Inúmeros estudos científicos rigorosos realizados em todo o mundo têm feito essa lista de indicações crescer cada vez mais.

COMO É FEITO UM ATENDIMENTO EM ACUPUNTURA?

É bem mais do que “inserir agulhas no corpo”. Essa é apenas uma das etapas de uma série de procedimentos encadeados, que obedece à mesma sequência de uma consulta médica de qualquer outra especialidade. Assim sendo, durante a anamnese, as queixas e a história do paciente são ouvidas e anotadas. Isso permite ao médico a elaboração de um diagnóstico clínico. Só, então, ele poderá decidir se a Acupuntura está indicada naquela situação clínica e se há necessidade de prescrever alguma medicação bem como associar outra forma complementar de tratamento. Finalmente, o médico poderá estabelecer um prognóstico, informando o paciente sobre as possibilidades de sucesso do tratamento empreendido e de suas limitações no seu caso em particular. Eventualmente, ele poderá ser encaminhado, caso necessário, a um médico de outra especialidade, para uma avaliação, ou mesmo para a continuidade do tratamento.

QUAIS OS PROFISSIONAIS HABILITADOS PARA A SUA PRÁTICA?

As únicas profissões de saúde do país, que por lei, detêm o direito de diagnosticar doenças, realizar procedimentos invasivos e prescrever medicamentos, são os médicos, cirurgiões dentistas e médicos veterinários. O Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura defende que a prática da Acupuntura seja realizada por estes profissionais, nos seus respectivos campos de atuação.

PARA TRATAR-SE COM ACUPUNTURA É PRECISO INTERROMPER OUTROS TRATAMENTOS?

Não, pois na grande maioria das vezes, a associação da Acupuntura com outras formas de tratamento não apenas é possível, como é benéfica para o paciente. Porém, somente após a realização de uma consulta com definição de um diagnóstico, o médico poderá determinar qual o tratamento mais adequado para cada quadro clínico. Desse modo, poderá associar à Acupuntura a medicamentos, fisioterapia e outros métodos complementares de tratamento.

AS AGULHAS PODEM TRANSMITIR DOENÇAS?

A normatização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) concernente à prática da Acupuntura determina que ela seja realizada, exclusivamente, com material descartável. Infelizmente, profissionais sem formação adequada insistem na reutilização das agulhas. Por esse motivo, a literatura médica tem registrado grande número de relatos de pessoas vitimadas por doenças transmitidas por agulhas de Acupuntura. Dentre essas, encontram-se: hepatites, meningites, mastoidites, encefalites, etc. Portanto, cabe ressaltar que as agulhas nunca devem ser reaproveitadas, nem no mesmo paciente porque, uma vez guardadas, sua contaminação é quase certa. Agulha, só descartável!

A PRÁTICA DA ACUPUNTURA PODE GERAR COMPLICAÇÕES?

Bem praticada, a Acupuntura é segura; no entanto, quando realizada por profissionais sem a devida qualificação, tem se revelado, extremamente danosa. Os relatos de complicações são muitos e variados: desmaios, lesões em nervos periféricos, pneumotórax (perfuração do pulmão), hemotórax (sangramento no tórax), infecção no pavilhão auricular, meningite, encefalite, mastoidite e até óbito, entre outros. As razões das complicações podem surgir do despreparo para diagnosticar e tratar doenças; para exercer uma técnica invasiva; para conduzir um caso clínico e estabelecer um prognóstico; para reparação do erro cometido. Em caso de dúvidas, recorra ao Colégio Médico de Acupuntura ou ao Conselho de Medicina do seu Estado

Fonte - * CMBA - Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (www.cmba.org.br), órgão oficial da acupuntura médica do país, reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina, Associação Médica Brasileira, Federação Nacional dos Médicos e Comissão Nacional de Residência Médica

Informações à Imprensa/CMBA

Regina Di Marco regina.dimarco@rmpress.com.br

Claudia Maciel claudia.maciel@rmpress.com.br

T +55 11 2950.4820